Cuba responde à Dra. Ramona, dois anos antes. E a Dra. Ramona vai servir cafezinho a médico que não atende povão

Há vários dias eu queria ter postado este artigo do Tijolaço, mas tanta coisa aconteceu que acabei por me esquecer. De toda forma, hoje eu o publico. Vale a pena ressaltar o papel de sabotador, de traidor, que o nada nobre Deputado Ronaldo Caiado tem tido. Foi muito repercutido que, durante o recesso parlamentar, o Deputado foi a Miami, nos EUA, conhecer as táticas do Cuban Medican Proffessional Parole(CMPP), para cooptar os médicos cubanos a desertarem do programa Mais Médicos, e ao fim do seu país, e receberem visto permanente de trabalho nos EUA.

O que foi divulgado agora, e que, em esmagadora maioria, os médicos cubanos que desertam dos programas e vão para os EUA, não conseguem trabalhar lá como médicos, conseguem trabalhar apenas, como o que seria equivalente aqui, como auxiliar de enfermagem.

A cada dia que passa, fica mais e mais evidente que, aqueles partidos e políticos que deveriam ser oposição ao governo atual no Brasil, e fornecerem idéias e rumos a seguir, agem apenas para sabotar o que o governo tenta fazer, sem qualquer ideia ou ação que possa realmente melhorar a vida dos brasileiros. Uma verdadeira vergonha!

Desinformação Não!

Autor: Fernando Brito

medbrasileira

Em novembro de 2011, foi postado no Youtube o vídeo de resposta do governo cubano à deserção de médicos ligados às suas missões humanitárias por todo mundo.

Quase dois anos  antes, portanto, da implantação do nosso “Mais Médicos”.

O vídeo mostra, direitinho, o passo a passo do caminho escolhido pela Dra. Ramona Rodriguez, inclusive as alegações de trabalho escravo.

Não houve surpresa nenhuma e o vídeo poderia ter sido assistido por qualquer um pela internet, inclusive pela “surpreendida” Dra. Ramona.

E quantifica no número de médicos atraídos dos programas de assistência internacional para os Estados Unidos: menos de 2%.

Pessoalmente, acho que qualquer um tem o direito de ir para onde quiser.

E acho também que, se quer que um curso univesitário caríssimo, como é o de medicina (que custa entre R$ 300 mil e R$ 500 mil), seja propriedade particular, deve pagar por isso.

Eu tenho 37 anos de trabalho e não tenho como pagar isso para um filho estudar medicina. Uma pessoa da família, depois de tentar medicina por dois anos – porque a concorrência para as universidade públicas é tão dura que passar ou ficar na beira é loteria, não conhecimentos – fez enfermagem numa universidade federal porque os pais, microempresários, não podiam pagar R$ 5 mil de mensalidade.

Se é dado pelo Estado, tem de ser retribuído em benefício social.

Ou pago, como financiamento.

Se fosse um brasileiro, mesmo com 50% de bolsa do Pro-Uni, se quisesse financiar um curso de Medicina de R$ 270 mil de valor total, o estudante pagaria, entre 2021 e 2040, 258 prestações de R$ 843.

Isso porque os juros são subsidiados, de 3,4% ao ano, bem menores que a inflação.

Se é para sermos da liberdade e da propriedade particular do capitalismo sem restrições, pode ir pagando a mensalidade …

[sz-youtube url=”http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=0xvRtFiulOw” caption=”O programa de solidariedade médica cubano” /]

Mas devemos dar os parabéns à Dra. Ramona. Ela vai ser contratada para funções administrativas na Associação Médica Brasileira, para ajudar a combater o Programa Mais Médicos. Enquanto isso, o povo de Pacajás que fique doente sem médico.  Os médicos brasileiros e a médica Ramona Rodriguez estão se lixando para eles.